Aminas solicita reintegração do Hospital de Bom Jesus do Galho

28 maio, 2020 • Acontece, Destaque, Telejornal

O prefeito de cidade de Bom jesus do Galho emitiu um comunicado, informando que a Aminas, solicitou por meio judicial, a reintegração de posso do imóvel hospitalar. Município pode recorrer da decisão O fantasma da saúde pública volta a assombrar os bonjesuenses. E o motivo é por conta do pedido de reintegração de posse do imóvel da Associação Mineira de Assistência a Saúde, que fica localizada na rua Vital Martins Bueno, no centro da cidade. Vale lembrar que esta não é a primeira vez que representantes do hospital Aminas solicitam o encerramento dos atendimentos médicos realizados na instituição a população através do Sistema Único de Saúde. Em novembro de 2018, foi solicitado a Superintendência Regional de Saúde de Coronel Fabriciano junto ao Ministério Público pela então diretoria do hospital naquele período, o rompimento do convênio com o SUS. Os atendimentos foram paralisados em março de 2019. A entidade alegou na época atrasos nos pagamentos a instituição de saúde por parte do município e do Estado de Minas Gerais. Em março deste ano, o Prefeito de Bom Jesus do Galho William Batista Calais, publicou um decreto que solicitava a utilização do espeço do hospital Aminas por 180 dias, durante a propagação do vírus do novo coronavírus. Ainda de acordo o prefeito, a data poderia ser prorrogada diante da situação da pandemia. Porém ontem(27), o prefeito afirmou ter recebido uma intimação solicitando a reintegração de posse do hospital que desde então segue fechado desde esta quarta-feira(27). Agora, cabe a prefeitura recorrer da decisão. Entramos em contato com o presidente da Associação Mineira de Saúde sr. Joel Tristão, para que ele se pronunciasse sobre o fato, por telefone foi informado que o município de Bom Jesus do galho utilizaria o espaço clínico para outros procedimentos clínicos, e não para executar o plano de contingência para o enfrentamento da covid-19 na cidade, Ainda conforme a presidência do hospital, as dependências da AMINAS foi invadida de forma arbitrária pelo município. Por conta das incompatibilidades foi decidido pedir de forma jurídica a retomada da posse do imóvel. O hospital que foi inaugurado no ano de 1957 sempre funcionou de forma privada. Após o gerenciamento pela Associação São Vicente de Paula, a instituição foi entregue a AMINAS no ano de 2012. Ainda de acordo com o presidente da AMINAS, era de interesse da presidência efetuar a reabertura do hospital em fevereiro deste ano, para que ele fosse integrado ao plano de contingência para o combate a covid-19, inclusive foi realizado um contato com a superintendência regional de saúde de Coronel Fabriciano para que fosse colocada a instituição a disposição. Ele afirmou ainda que existe a possibilidade da reabertura do hospital em 15 dias.

Comentários

Posts Relacionados