Coleta de sangue em Caratinga atinge meta

Coleta de sangue em Caratinga atinge meta

9 dez, 2013 • Destaque, Saúde

DOAÇÃO DE SANGUE

Pela quarta vez em 2013, a central do Hemominas de Governador Valadares esteve em Caratinga. Os estoques de bolsas de sangue dos hospitais devem estar preparados para a grande procura de final de ano.

A meta era atingir 150 bolsas de sangue. A Secretaria de Saúde de Caratinga informou que foram 156 cadastros durante a doação de sangue, ultrapassando a meta estipulada pelo Hemominas. Desse total, 126 doadores foram considerados aptos a doar. Mesmo assim, as autoridades de saúde consideraram que a campanha atingiu o objetivo. Os doadores atenderam o chamado dos profissionais do Hemominas de Governador Valadares e lotaram os corredores e as salas do posto de saúde do bairro Santa Zita. O processo entre o cadastramento e a coleta de sangue levou em média uma hora.

O farmacêutico, Rubens Pires, disse que todas as pessoas deveriam participar desse ato de solidariedade. Para ele, Caratinga teria um número maior de doadores se tivesse um posto permanente para coleta de sangue. José Rubens repete o gesto há 20 anos e até possui uma carteirinha de doador da cidade de São Paulo. Sequence 05.Still016O economista também acredita que a cidade necessita de um banco de sangue do Hemominas, evitando assim, que as pessoas tenham que se deslocar para outras cidades fora da época de campanha.

As bolsas de sangue são levadas para a central de Hemominas de Governador Valadares. De lá, elas são distribuídas entre os hospitais da região, inclusive Caratinga. Por causa das festas de final de ano e aumento do número de acidentes, os hospitais registram grande volume de atendimentos de emergência. É justamente por isso que os estoques de sangue precisam ter capacidade máxima.

Igor Siqueira é médico. Além de doar, ele defendeu a doação como forma de ajudar as pessoas que tanto necessitam dos diversos tipos de sangue.

Comentários

Posts Relacionados