1111

DIA MUNDIAL DO CORAÇÃO: COMEMORAÇÃO DA DATA REFORÇA A IMPORTÂNCIA DA CONSCIENTIZAÇÃO E DA PREVENÇÃO

29 set, 2016 • Destaque, Telejornal

Mudanças simples na rotina são capazes de melhorar a saúde cardíaca e a qualidade de vida das pessoas. No Dia Mundial do Coração o objetivo principal é alertar sobre os riscos das doenças cardiovasculares, principal causa de morte no mundo. Este ano, o Dia Mundial tem como tema a campanha de esclarecimento das populações sobre como fazer para proteger o coração e, logicamente, a vida.

O auxiliar de serviços gerais Denilson Lázaro da Silva fez a primeira consulta dele com um cardiologista quando sentiu algumas dores no peito. Logo nos primeiros sinais, ele procurou Dr Hildo Pacheco Júnior, preocupado com os sintomas.
Com pressão alta, ele teve que mudar alguns hábitos e hoje ele faz uso contínuo de medicamentos.
De acordo com levantamentos, a cada 40 segundos um brasileiro morre vítima de problemas cardíacos. Esse número é medido pelo “cardiômetro”, um indicador criado pela Sociedade Brasileira de Cardiologia, que calcula o número de mortes por doenças cardiovasculares por dia, mês e ano. Somente em 2016, mais de 257 mil mortes foram contabilizadas. Essas doenças causam o dobro de óbitos do câncer. Com o propósito de chamar a atenção para os riscos que os brasileiros correm, caso não cuidem da saúde, todos os anos, mundialmente, é comemorado o Dia do Coração.
Formado há 12 anos e atuando em Caratinga desde 2009, o cardiologista destacou que os principais fatores de risco são a hipertensão arterial, tabagismo, estresse, sedentarismo, diabetes e colesterol.
Quatro entre cincos pessoas acometidas de doenças cardiovasculares estão acima dos 65 anos. Entre as mulheres idosas, aquelas que tiverem um ataque cardíaco terão uma chance dupla de morrer em poucas semanas. Os homens tem maiores chances de ter um ataque cardíaco e os seus ataques ocorrem numa faixa etária menor. Mesmo depois da menopausa, quando a taxa das mulheres aumenta, ela nunca é tão elevada como a dos homens.
A Federação Mundial do Coração tem como forte objetivo a ser alcançado a diminuição das mortes cardiovasculares precoces (pessoas com menos de 60 anos), em 25% até 2025. Se nada for feito, já em 2030 vão ocorrer 23 milhões de mortes cardiovasculares.

Comentários

Posts Relacionados