1

AGENTE PENITENCIÁRIO DE CARATINGA É CONDUZIDO À DELEGACIA SUSPEITO DE ATIRAR CONTRA CASA DE EX

5 set, 2016 • Destaque, Telejornal

O agente penitenciário Vanderlei José da Silva, de 44 anos, foi conduzido à Delegacia de Polícia Civil de Caratinga por volta de 1h do último domingo (04).
Ele foi preso suspeito de ter atirado em uma casa, localizada na Rua do Santuário, no Bairro Santa Zita.
Os disparos atingiram a janela e um guarda-roupas.
Durante a prisão dele nenhuma arma de fogo foi encontrada.
A casa alvo dos disparos é de Natália Cristina Soares Corrêa, de 32 anos, ex agente penitenciária. Ela e Vanderlei tiveram um relacionamento amoroso que durou cerca de 5 anos, e, há aproximadamente 5 meses, eles se separaram.
Às autoridades, ele negou ser o autor dos disparos e foi liberado.
Vanderlei é agente penitenciário contratado. Nosso jornalismo enviou uma solicitação de esclarecimento à assessoria da Secretaria de Estado de Defesa Social (SEDS) questionando se este agente teria apenas o porte funcional de arma de fogo – ou seja, se ele só pode andar armado durante o turno. Em resposta fomos informados de que: “As regras para porte e uso de armas para agentes prisionais seguem a Lei Federal nº 10.826/2013, o Decreto Federal 5.123/2004, a Lei Estadual 2.068/2013 e a Resolução Seds 1.515/2014. O porte de arma só é concedido a agentes de segurança penitenciários efetivos (concursados) depois de receberem treinamento regulamentado e de passar pelo crivo da Polícia Federal, que é responsável por conceder o porte. Os agentes contratados só podem, caso tenham o treinamento, só têm o porte para o serviço de vigilância nas muralhas e em escoltas de presos.”

 

 

 

 

 

Comentários

Posts Relacionados