13765990_1032244143491334_5784500340964126833_o

REDUZIR DESPERDÍCIO E FAZER USO CONSCIENTE DA ÁGUA ALÉM DE GERAR ECONOMIA NA CONTA, FAZ TODA A DIFERENÇA EM TEMPOS DE CRISE HÍDRICA

1 ago, 2016 • Destaque, Telejornal

O aumento da população mundial e a poluição são fatores comprometedores ao uso da água, que pode acabar se não forem tomadas medidas para seu uso sustentado e garantia da sua renovação. A água cobre 71% de toda a superfície da terra. Deste total, 97% estão nos oceanos; 2,4% nas geleiras, e, portanto, apenas 0,6% estão nos rios e lagos. Ou seja, muito pouco da água que temos é apropriada para o consumo.

O argumento de que existem diversas formas de tratamento, inclusive a dessalinização da água do mar esbarra na inviabilidade econômica. É muito caro tratar a água poluída. A água que recebemos da companhia de abastecimento é coletada em mananciais livres de poluição que facilita o tratamento.
A conta de água que recebemos todos os meses, muitas vezes não inibe o consumo. Deixar uma torneira aberta enquanto escovamos os dentes, não se importar se a torneira da cozinha está pingando, costumes como estes precisam mudar. Os especialistas alertam que a água se movimenta pela terra e que se má utilizada perde qualidade e fica imprópria ao consumo.
A política de gerenciamento das águas no país prevê a constituição de comitês de bacias que reúnem pessoas da sociedade civil e organizada, o poder o público e os usuários da água, o que permite organizar os investimentos governamentais de acordo com as necessidades de cada região. Em Caratinga, encontros já foram realizados com estes comitês para discutir ações dos planos municipais de saneamento básico, questões do programa de recomposição de áreas de preservação permanentes e nascentes, e até sobre a tragédia de Mariana.
Professor Flávio Rocha Anselmo, que é engenheiro ambiental, fala como se organizam os recursos que são investidos em ações de preservação.
O uso doméstico da água requer a nossa atenção constante. Grande parte do desperdício está, sim, dentro de casa. Veja quais são os 10 vilões deste desperdício e conheça o quanto gastamos em 30 minutos de consumo:
– O maior vilão de todos é o jardim, gastando 570 litros de água em 30 minutos.
– A calçada é a 2ª colocada, consumindo 560 litros de água.
– Consumimos 550 litros para limpar o veículo.
– O 4° colocado neste ranking é o tanque de lavar roupas, gastando 560 litros de água.
– No banho são gastos 90 litros.
– Lavar louças com a torneira meio aberta utiliza 240 litros de água, em uma casa, e 480, em um apartamento – neste caso, a pressão da água é maior e, portanto, o fluxo também.
– Uma máquina de lavar, com capacidade de 5 kg, gasta 135 litros de água.
– Uma escovação de 5 minutos com a torneira aberta gasta 12 litros de água, na casa, e 80 litros, no apartamento.
– Uma lavadoura de louças com capacidade para 45 utensílios de 40 talheres consome 40 litros de água.
– E um vaso sanitário, com válvula e tempo de acionamento de 6 segundos, elimina 14 litros.
Reduzir os desperdícios, utilizando o consumo da água de maneira consciente, além de colaborar com o meio ambiente, gera uma boa economia na conta de água no final do mês, sem falar que faz toda a diferença em tempos de crise hídrica e falta de chuvas, onde sofremos com os racionamentos e rodízios de abastecimento de água.

Comentários

Posts Relacionados