14022355_1052718471443901_5435534382892224831_n

JUSTIÇA ELEITORAL ATENTA ÀS REDES SOCIAIS: CANDIDATOS E SIMPATIZANTES TAMBÉM DEVEM PRIMAR PELA ÉTICA E BOM COMPORTAMENTO NA INTERNET

25 ago, 2016 • Destaque, Telejornal

Os candidatos que costumam usar as redes sociais para cometer crimes eleitorais podem abrir os olhos, pois a Justiça Eleitoral vai apertar o cerco.

Em vigor pela primeira vez nas eleições municipais deste ano, as novas regras políticas e eleitorais acabaram se transformando em uma equação, no mínimo, complicada para os candidatos e partidos.
O famoso “fazer mais com menos” deve empurrar a campanha para as redes sociais e internet em geral. Mas a liberdade causada pelo meio não pode cegar os candidatos a ponto de descumprir regras eleitorais. Muitos acreditam que o grande diferencial dessa eleição pode ser, sim, o engajamento dos políticos no meio virtual mas o Juiz da 71ª Zona Eleitoral da Comarca de Caratinga, Alexandre Ferreira, reforça a necessidade de limite nas manifestações.
Paralelo aos candidatos e partidos, no meio digital o cidadão e eleitor também precisa ficar atento às condutas classificadas como crimes eleitorais. Apesar da legislação prever a livre manifestação, inclusive nas redes sociais, há a ressalva de vedar o anonimato e não ofender outras pessoas.
Nesta época as atenções estão voltadas para o chamado terrorismo virtual, que é quando contas ou perfis falsos atacam, geralmente difamando, outros candidatos.
Os próprios candidatos e cidadãos podem ajudar a coibir atos irregulares nessa plataforma. As denúncias podem ser feitas no site do Ministério Público.

Comentários

Posts Relacionados