foto saude 03

No dia nacional da saúde, terceira idade mostra como viver mais

6 ago, 2013 • Saúde

foto saude 01

No dia 05 de agosto de 1872 nascia o médico Oswaldo Cruz. O epidemiologista e sanitarista brasileiro foi um dos maiores pesquisadores em saúde pública do país. Por esse motivo, a data é considerada o Dia Nacional da Saúde. Em Caratinga, a comemoração terá uma vasta programação até esta sexta-feira, 9.

No calçadão da Rua Miguel de Castro, no centro de Caratinga, a secretaria municipal de saúde montou um stand, para que as pessoas pudessem medir a pressão arterial e fizessem o teste de glicose. A população recebeu orientações sobre os diversos serviços oferecidos pela secretaria e que, segundo a Secretária de Saúde, Sueli Amorim, são desconhecidos por boa parte das pessoas. “Essa campanha será mais voltada prá orientação da população, por que nós percebemos que a expectativa do brasileiro aumentou muito, então a expectativa do caratinguense também. Então nós queremos uma população mais saudável, uma população que não adoeça”.

Na última semana, o IBGE, divulgou dados sobre o crescimento da expectativa de vida brasileira. A pesquisa revelou que em 1980 a média era 62,5 anos, em 2010, subiu para 73,8 anos crescimento de 11 anos, dois meses e 27 dias no período. A média de vida do estado é ainda melhor, chegando a 75,37 anos. Mas quando se separa os homens das mulheres, a expectativa feminina é ainda maior em Minas Gerais. Em 30 anos, a esperança de vida saltou de 66,10 para 78,30 anos. Já em relação aos homens mineiros, a expectativa de vida continua bem inferior à média das mulheres. Para os homens a expectativa subiu de 61,07 anos para 72,47. “A gente percebe que a faixa etária que menos procura as unidades é entre os quarenta e o sessenta anos. É aonde nós queremos chamar a atenção da população masculina de Caratinga, prá poder começar a cuidar da sua saúde”, afirmou Amorim. A falta de preocupação masculina com a saúde pode ser percebida em um grupo terceira idade, que se reúne no Sesi Minas de Caratinga. Nenhum dos praticantes de atividades físicas é do sexo masculino. Os exercícios são feitos três vezes por semana e os homens quando participam desistem nas primeiras semanas.

Dona Clélia Cevidanes Pinheiro, de 77 anos, participa das atividades há sete anos. A cada movimento feito com as pernas e com os braços ela diz sentir a energia suficiente para enfrentar o dia a dia. “Eu conservei a minha qualidade de vida. Não tenho nada. Tenho pressão 12×7. Tenho diabetes tudo controlada. Não canso”, lembrou Dona Clélia.

O coordenador das atividades com o grupo confirmou os benefícios para os idosos em praticar exercícios físicos. Segundo Israel Araújo “o brasileiro ele está mais consciente dos bons hábitos, que são as atividades físicas, alimentação. Então hoje tem uma consciência. A própria mídia, hoje ela está envolvida nisso aí da conscientização do ser humano. Isso faz com que a gente crie bons hábitos, tornando assim a gente mais saudável e prolongando a vida por um tempo maior”, ressaltou o educador físico.

Comentários

Posts Relacionados