OFF CEASA .00_09_24_15.Quadro004

Greve dos caminhoneiros afeta preço dos alimentos da Ceasa em Caratinga

25 maio, 2018 • Acontece, Destaque, Telejornal

Após o quarto dia da greve dos caminhoneiros em todo o Brasil, o comércio de hortifrutigranjeiros em Caratinga começa a sentir os efeitos da paralisação. Segundo os produtores rurais e compradores da Ceasa, mercadorias como batata, cebola e cenoura chegaram a ter um reajuste de 200% no preço final. Assim que chegamos ao Centro de Abastecimento da cidade de Caratinga, o cenário já apontava diferenças no movimento de compradores e vendedores.

Os espaços destinados para a carga e descarga das mercadorias, que geralmente não possui vagas para todos os visitantes, estavam vazios. Já dentro do pátio da Ceasa, vimos muitos produtos que não foram vendidos. Tinha uma grande variação de mercadorias, tanto da classe de verduras e legumes. O Vice-Presidente da Associação dos Produtores de Hortifrutigranjeiros de Caratinga, afirmou que a greve impactou as vendas nesta quinta-feira. Um produtor rural, disse que, como uma maneira de evitar prejuízos, compareceu ao Ceasa com uma menor quantidade de mercadorias. Porém, mesmo sendo cauteloso, ele afirmou que irá perder parte dos produtos que não vendeu. Jose Paulo afirmou que, muitos produtores que trabalham com a agricultura familiar arriscaram comparecer a Ceasa para tentar comercializar a produção. Ele disse ainda que, alguns produtos que não são produzidos na região de Caratinga, como batata, cebola e cenoura tiveram aumento de mais de 200%.

OFF CEASA .00_16_22_00.Quadro011 OFF CEASA .00_15_15_15.Quadro010 OFF CEASA .00_14_49_15.Quadro009 OFF CEASA .00_13_27_00.Quadro008 OFF CEASA .00_12_31_00.Quadro007 OFF CEASA .00_12_06_00.Quadro006 OFF CEASA .00_09_38_15.Quadro005

Visitamos uma rede de supermercados da Cidade de Caratinga para saber como andavam os preços dos produtos que tiveram este aumento de 300% no preço final, mercadorias como Batata, cenoura e a cebola. Conversando com um dos diretores do estabelecimento, ele informou que produtos perecíveis com os citados, deve-se trabalhar com uma margem de estoque baixa. Ainda de acordo com o representante do supermercado, a rede de comércio não tem intenção de adquirir produtos superfaturados dos fornecedores, por que senão, o cliente final acabaria sendo o mais prejudicado com a alta dos produtos. Ele acredita que até o final de semana o estoque dos hortifrutigranjeiros se esgotará.

Comentários

Posts Relacionados